CONTRAPÉ | FABIANA MURER RECEBE A MEDALHA DE PRATA NO NINHO DO PÁSSARO

Fabiana Murer - Salto com Vara

CONTRAPÉ | FABIANA MURER RECEBE A MEDALHA DE PRATA NO NINHO DO PÁSSARO

27 de agosto de 2015

A atleta do Clube BM&FBOVESPA recebe a premiação um dia após a conquista: “Foi super emocionante”. Agora, volta para a Europa e disputará dois meetings, incluindo a última etapa da Diamond League em Zurique.

BEIJING, CHINA - AUGUST 27:  (L-R) Silver medalist Fabiana Murer of Brazil, gold medalist Yarisley Silva of Cuba and bronze medalist Nikoleta Kyriakopoulou of Greece pose on the podium during the medal ceremony for the Women's Pole Vault final uring day six of the 15th IAAF World Athletics Championships Beijing 2015 at Beijing National Stadium on August 27, 2015 in Beijing, China.  (Photo by Alexander Hassenstein/Getty Images for IAAF)

BEIJING, CHINA – AUGUST 27: (L-R) Silver medalist Fabiana Murer of Brazil, gold medalist Yarisley Silva of Cuba and bronze medalist Nikoleta Kyriakopoulou of Greece pose on the podium during the medal ceremony for the Women’s Pole Vault final uring day six of the 15th IAAF World Athletics Championships Beijing 2015 at Beijing National Stadium on August 27, 2015 in Beijing, China. (Photo by Alexander Hassenstein/Getty Images for IAAF)

São Caetano do Sul – A saltadora Fabiana Murer, do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, subiu ao pódio do Estádio Nacional de Pequim, o Ninho do Pássaro, nesta quinta-feira (27/8/2015). Enfim, recebeu a medalha de prata do Campeonato Mundial que conquistou na final do salto com vara no dia anterior. Fabiana, campeã em Daegu/2011, celebrou sua quarta medalha em Mundiais – também tem ouro e bronze no Mundial Indoor. A cerimônia de entrega de medalhas abriu a sessão noturna em Pequim – manhã no Brasil, por causa das 11 horas de fuso horário em relação à China.

“Foi super emocionante receber a medalha dentro do Ninho do Pássaro”, disse Fabiana Murer, que foi vice-campeã do salto com vara com a marca de 4,85 m, a melhor de sua carreira e recorde sul-americano, alcançada pela terceira vez. “O estádio já estava bem cheio, mesmo 15 minutos antes de iniciar a sessão. Novamente, foi o Roberto Gesta de Melo (ex-presidente da Confederação Brasileira de Atletismo) quem me entregou a medalha. Também foi assim em Daegu, e foi muito legal estar de novo no pódio de um Mundial”.

Muito cansada após uma prova longa e tensa, Fabiana ainda demorou para deixar o estádio depois da disputa da final, realizada na noite de quarta-feira (26/8)em Pequim, manhã pelo horário de Brasília. “Demorei para sair depois da competição porque dei muitas entrevistas e ainda passei pela sessão de massagem.” De volta ao hotel, por volta da meia-noite, jantou na companhia do treinador Elson Miranda, de dirigentes e integrantes da comissão técnica brasileira. “Não dava para comemorar fora do hotel. Eu não poderia comer fora, porque recebemos a recomendação de ter cuidado com a alimentação, especialmente com a carne, por causa de hormônios.”

Fabiana deixa a China nesta sexta-feira (28/8), rumo a Europa. A saltadora, que está fora do Brasil desde o dia 1 de julho, ainda tem duas competições antes do fim de uma extensa temporada. No dia 3 de setembro, quinta-feira, ela disputa a etapa de Zurique da Diamond League – na Suíça será definida a campeã do salto com vara do principal circuito de provas da Federação Internacional de Atletismo (IAAF). Na semana seguinte, no dia 8, Fabiana participa de uma etapa do World Challenge, em Zagreb, na Croácia. Depois, retorna ao Brasil e sai de férias.

A brasileira, que já venceu a Diamond League nas temporadas de 2010 e 2014, tem chances de conquistar o tricampeonato. Mas, para isso, terá de vencer a prova e ainda depender de uma combinação de resultados. A grega Nikoleta Kyriakopoúlos é a líder da corrida pelo diamante, com 16 pontos – Fabiana tem dez, seguida de perto pela campeã mundial Yarisley Silva, com 7. Na última etapa, a de Zurique, os pontos são contados em dobro: 8, para a primeira colocada, 4 para a segunda, e 2 para a terceira.

“Eu tenho que ganhar e a Nikoleta não pode ficar além de terceiro. Vai ser outra prova bem difícil. A Nikoleta tem vantagem de estar na frente na corrida pelo diamante. A Yarisley também vai estar na prova. Zurique é um lugar no qual eu gosto muito de saltar, a pista é boa. Embora a Diamond League não seja o objetivo da temporada desde o início, quero saltar bem”, explicou Fabiana.

O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, rumo aos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, tem parceria com Pão de Açúcar, CAIXA, Prefeitura de São Caetano e Nike.

Patrocinadores

© Copyright 2016 Fabiana Murer