CONTRAPÉ | FABIANA MURER: DEZ TEMPORADAS COMO TOP TEN DO MUNDO NO SALTO COM VARA

Fabiana Murer - Salto com Vara

CONTRAPÉ | FABIANA MURER: DEZ TEMPORADAS COMO TOP TEN DO MUNDO NO SALTO COM VARA

8 de setembro de 2015

zobiana

São Caetano do Sul – O Meeting de Zagreb, na Croácia, fechou o calendário de Fabiana Murer em 2015. A brasileira venceu a prova desta terça-feira (8/9/2015), com 4,50 m, recorde do campeonato. A saltadora, de 34 anos, encerra o ano como vice-campeã mundial, medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Toronto e dona da segunda melhor marca do mundo. Fabiana, do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA também alcança mais um patamar respeitável no atletismo. Pela décima temporada consecutiva termina entre as dez melhores no ranking do salto com vara. A atleta retorna ao Brasil e entra em férias antes de voltar ao trabalho para os Jogos Olímpicos do Rio.

Fabiana colocou o salto com vara sob os holofotes no Brasil. “Eu vejo que todo mundo da minha geração está parando, só estamos eu, a Jennifer (Suhr, campeã olímpica) e a Martina (Strutz, prata no Mundial de Daegu/2011). A Holly Bradshaw (saltadora britânica) tem dez anos a menos que eu! Vejo novas atletas vindo, uma nova geração, e fico contente por me manter em alto nível por todos esses anos”, avaliou a saltadora.

Em 2005, Fabiana já era recordista brasileira: 4,40 m (9/7/2005, em Porto Alegre), marca que igualou na prova de qualificação de seu primeiro Mundial, realizado em Helsinque, na Finlândia (7/8/2005). O resultado foi suficiente para que a saltadora, que em 2004 era apenas a 65ª do mundo, terminasse 2005 em 25º lugar no ranking.

Em 2006, Fabiana entraria definitivamente para o rol das principais saltadoras do mundo – espaço que conquistou e que nunca mais deixou. Tornou-se recordista sul-americana do salto com vara com 4,55 m, no Grande Prêmio Brasil de Atletismo, em Belém, no mês de maio – desde então, a melhor marca continental nunca mais deixou de ser da saltadora. Em agosto, Fabiana venceu o Super GP de Mônaco, uma das provas mais charmosas do circuito, com 4,66 m, e saltou a mesma marca, dias depois, em Bruxelas.

De lá pra cá, Fabiana conquistou quatro medalhas em Mundiais (dois ouros, uma prata e um bronze, indoor e outdoor), três medalhas em Jogos Pan-Americanos (ouro no Rio/2007), duas edições da Diamond League (2010 e 2014) – conquistas inéditas para o atletismo brasileiro.

“Dez anos atrás eu estava entrando nesse circuito de provas internacionais. Nem imaginava até onde poderia chegar, mas sempre tive muita vontade de ganhar. Isso me fez crescer. Comecei na era da Yelena Isinbayeva, que batia recordes e recordes. E eu ficava imaginando: será que um dia serei a primeira? Será que vou ter alguma chance? Sempre soube que só seria possível se eu conseguisse evoluir. E eu fui campeã mundial duas vezes com ela na prova. Aproveitei as oportunidades que tive.”

O técnico Elson Miranda, que acompanha Fabiana desde o dia em que ela fez o teste para a escolinha de atletismo em Campinas, no ano de 1997, parabeniza a saltadora pela marca conquistada. “Estou muito orgulhoso da Fabiana, de poder treiná-la. Ela continua no alto nível, batalhando muito. E que carreira, não? Em meio aos altos e baixos, ela se mantém. Nesse ponto, a Fabiana é uma unanimidade: é a atleta que mais tempo compete em alto nível”, disse. “Eu sempre quis que a Fabiana fosse uma das melhores. Ela mantém o nível por ser muito boa tecnicamente.”

A prova cresceu com Fabiana e por ela, que teve todo o apoio do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, o qual defende desde o início da carreira, para desenvolver seu talento. O Clube se equipou para Fabiana poder saltar e a atleta destaca a equipe disciplinar que a ajuda a se manter saudável por tantos anos.

“Eu tenho uma equipe muito boa, com o Dr. Cristiano (Laurino, médico da equipe), todos os fisioterapeutas e a estrutura da BM&FBOVESPA em todas as áreas. Estão sempre cuidando de mim. Eu também sempre me preocupei muito com a recuperação. Tive poucas lesões porque fui muito cuidadosa, com atenção no treino para evitar que eu me machucasse.”

As dez temporadas no topo e as melhores marcas de cada ano

2015 – 2ª – 4,85 m (Mundial de Pequim, China, 26/8)

2014 – 1ª – 4,80 m (Diamond League de Nova York, EUA, 14/6)

2013 – 6ª – 4,75 m (Volksbank Stabhochsprung Meeting Beckum, Alemanha, 25/8)

2012 – 3ª – 4,77 m (Diamond League de Nova York, EUA, 12/6)

2011 – 2ª – 4,85 m (Mundial de Daegu, Coreia do Sul, 30/8)

2010 – 2ª – 4,85 m (Ibero-Americano de San Fernando, Espanha, 4/6)

2009 – 2ª – 4,82 m (Troféu Brasil, Rio de Janeiro, Brasil, 7/6)

2008 – 3ª – 4,80 m (Troféu Brasil, São Paulo, Brasil, 29/6)

2007 – 9ª – 4,65 m (Mundial de Osaka, Japão, 28/8)

2006 – 6ª – 4,66 m (Super GP de Mônaco, Mônaco, 20/8)

O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, rumo aos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, tem parceria com Pão de Açúcar, CAIXA, Prefeitura de São Caetano e Nike.

Patrocinadores

© Copyright 2016 Fabiana Murer