CONTRAPÉ | FABIANA CONQUISTA MAIS UM PÓDIO E ENCERRA A DIAMOND LEAGUE COM O VICE

Fabiana Murer - Salto com Vara

CONTRAPÉ | FABIANA CONQUISTA MAIS UM PÓDIO E ENCERRA A DIAMOND LEAGUE COM O VICE

3 de setembro de 2015

Medalha de prata no Mundial de Pequim, saltadora do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA alcança a marca de 4,72 m, fica na segunda posição, e disputa, em Zagreb, sua última prova da temporada.

_000001

São Caetano do Sul – Após conquistar a medalha de prata no Mundial de Pequim, há uma semana, a saltadora Fabiana Murer, do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, encerrou sua participação na Diamond League, nesta quinta-feira (3/9/2015), com mais um resultando importante: ficou com o vice-campeonato – a vencedora foi a grega Nikoleta Kiriakopoúlou. Fabiana foi a segunda colocada na etapa final do salto com vara, realizada em Zurique, na Suíça, com a marca de 4,72 m. Nikoleta venceu com 4,77 m e a cubana Yarisley Silva, campeã mundial, ficou na terceira posição, também com 4,72 m. Antes de retornar ao Brasil, Fabiana disputa uma última competição, em Zagreb (na Croácia), em 8 de setembro, etapa do World Challenge da IAAF.

Zurique foi a quinta etapa da Diamond League para Fabiana Murer em 2015. Campeã em 2010 e 2014, a saltadora não havia colocado o principal circuito da Federação Internacional de Atletismo (IAAF) como prioridade na temporada. Mesmo assim, conseguiu duas vitórias (Birmingham e Nova York) e dois bronzes (Paris e Estocolmo), chegando à etapa final, na Suíça, com chances de conquistar o título pela terceira vez. Para isso, Fabiana teria de vencer e Nikoleta não poderia passar do terceiro lugar – apenas a brasileira e a grega tinham chance de conquistar o diamante.

Fabiana começou a saltar com o sarrafo a 4,47 m, assim como Nikoleta e Yarisley. Passou na primeira tentativa, assim como em 4,57 m. Mas a 4,67 m não conseguiu validar o salto nas duas primeiras oportunidades. Pediu, então, para que a marca subisse a 4,72 m, como estratégia para tomar a liderança da competição – e conseguiu. A brasileira errou o primeiro salto a 4,77 m. As outras duas chances foram com a marca a 4,82 m, que nenhuma das saltadoras conseguiu superar.

A saltadora deixou Zurique com a sensação de dever cumprido. “Foi uma prova muito legal. Todas as meninas já estavam um pouco cansadas, porque depois de uma grande competição é sempre duro saltar, criar energia, mas aos poucos fomos nos achando na prova. Eu sabia que teria de ganhar. Embora o título da Diamond League não fosse uma prioridade no ano, já que eu tinha a chance, queria aproveitá-la. Passei algumas alturas, sempre tentando estar em primeiro para tentar ganhar. Saio da competição bem contente, porque foi um espetáculo bonito para as pessoas, com bons saltos.”

Ao fim da disputa, Fabiana deu um longo abraço na campeã Nikoleta, bastante emocionada pela conquista da Diamond League. A brasileira fez elogios à rival, de quem é amiga. “Ela saltou muito bem e fez por merecer. Ela era a grande favorita, disputou todas as etapas, queria ganhar a Diamond League – e ganharia mesmo se ficasse em segundo hoje. Ela estava emocionada, e dei um abraço nela. Converso com todas as meninas, sou amiga dela.”

“Foi uma competição muito bonita e a Fabiana está de parabéns. Ela tentou buscar esse título, no fim da temporada, tendo passado por uma disputa acirrada no Pan e Mundial. Mais uma vez ela continuou se superando, batalhando muito. Estou muito orgulhoso da Fabiana, de poder treiná-la”, disse o técnico Elson Miranda. “Quem acompanhou a Diamond League sabia da disputa: a Fabiana teria de ganhar e a Nikoleta teria de ficar em terceiro. A prova começou com chuva, o aquecimento foi difícil. A prova foi muito disputada, com as atletas se revezando em primeiro. Mas a Nikoleta foi forte. A competitividade no atletismo está muito alta, tanto que a Fabiana ganhou em Zurique no ano passado com 4,72 m.”

Elson Miranda lembra, ainda, que Fabiana chegou a Zurique brigando pelo título mesmo sem ter feito duas etapas do circuito, ao contrário de Nikoleta Kiriakopoúlou, que participou de todas as provas. A brasileira não competiu em Xangai, etapa realizada durante o Troféu Brasil, em maio, e em Londres, na sequência dos Jogos Pan-Americanos de Toronto.

O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA, rumo aos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, tem parceria com Pão de Açúcar, CAIXA, Prefeitura de São Caetano e Nike.

Patrocinadores

© Copyright 2016 Fabiana Murer